• +55 11 3864-2022 | 11 3675-1027

A trilha é um caminho que nos leva a um outro lugar, através de um percurso um tanto instável e, na maioria das vezes, nos proporciona enormes descobertas. Assim também são as Trilhas Educativas percorridas pelos estudantes da Bakhita!

IMG_8314

Ao longo do ano, grupos de estudantes de diferentes séries percorrem caminhos de pesquisa e exploração diversos, construindo conhecimento de forma significativa e compartilhada. Todo o processo se baseia no objetivo de atribuir aos estudantes o protagonismo na gestão do processo, desde a seleção dos temas da pesquisa, passando pela justificativa destes temas, pelo levantamento de fontes de pesquisa, o planejamento de ações, a execução e a avaliação do caminho percorrido.

Este ano, para que os grupos possam se atentar mais às etapas percorridas  nestas jornadas, os estudantes também terão que produzir cuidadosamente um material de registro de seu processo de pesquisa e investigação. Cada grupo escolherá um Relator, um Documentador, um Porta Voz e um Facilitador dentre seus membros, para que cada passo dado na Trilha Investigativa seja registrado, comunicado e valorizado. “O objetivo dos relatórios e registros é que os alunos reflitam constantemente, diante do projeto total”, comenta o Diretor Pedagógico Rafael Martins. Para organizar estes registros diários, os estudantes farão uso da plataforma Sway, da Microsoft, que permite a criação de relatórios interativos, portfólios, apresentações e diferentes formas de narrativas que serão alimentadas e organizadas diretamente pelos estudantes.

IMG_0580

Também, para valorizar o caminho a ser percorrido e a direção tomada por estes grupos de investigadores, em 2017 as Trilhas Educativas da Bakhita irão contar com uma banca avaliadora. Ou seja, os educadores irão ajudar a validar com os estudantes se os planos de pesquisa e investigação que os grupos traçaram são mesmo os melhores caminhos para responder às questões que os instigam.

IMG_7408

Não basta que as trilhas nos levem a descobertas memoráveis, também é preciso registrar os marcos no caminho, fotografar a paisagem e poder rememorar as escolhas de trajeto que foram feitas. Os estudantes da Bakhita poderão atestar essa importância em seus trabalhos de 2017, refletindo sobre assuntos que lhes são pertinentes e interessantes, percorrendo caminhos desconhecidos em direção a uma construção de conhecimento colaborativa, que valorize e reflita sobre cada passo dado nestas Trilhas Educativas!